Buscar
  • Patricia Ansarah

O be-a-bá do Coaching: o que é? eu preciso? como escolher um profissional?

Atualizado: 28 de Mai de 2018




A prática de coaching vem crescendo muito nos últimos anos e cada vez mais as pessoas tem procurado e investido nesta metodologia em busca de melhores resultados de vida pessoal ou profissional. Isso faz com que o coaching seja aplicado em diversos nichos de mercado, atendendo à demandas e necessidades específicas.


Nesses mais de 20 anos facilitando o desenvolvimento humano de profissionais de diversas áreas e segmentos de mercado, pude observar que, ao mesmo tempo que a prática cresce e se especializa, cresce a preocupação por encontrar profissionais bons e de referência no mercado e também a dúvida sobre a essência e resultados práticos deste processo, dificultando a tomada de decisão daqueles que poderiam se beneficiar (e muito) mas que podem estar inseguros ou desacreditados com o método.


Em função disso, preparei este artigo com dicas que espero serem úteis para ajuda-lo responder a essas questões:



1) O que é Coaching? Coaching é uma metodologia eficiente e interativa que

promove em um curto espaço de tempo, a partir de técnicas provocativas, o autoconhecimento e a tomada de consciência de valores e motivadores de vida pessoal, desbloqueando o potencial que o indivíduo tem para fazer escolhas transformadoras em busca de melhores resultados e desempenho como ser integral.

Ou, como se diz de forma mais simples, é uma metodologia que ajuda o indivíduo a sair de seu estado atual para o seu estado desejado.



2) Quem pode se beneficiar com ele? Todos aqueles que buscam transformar a sua vida pessoal e profissional em um determinado e curto espaço de tempo, direcionando suas escolhas de forma prática, consciente e em congruência com sua essência como ser humano.


Abaixo alguns dos resultados da pesquisa do International Coach Federation de 2016, em relação aos benefícios do programa de coaching:

72% obtiveram melhora/desenvolvimento em suas relações;

73% obtiveram melhora na comunicação;

80% obtiveram melhora na autoconfiança;

Todos esses são fatores que trabalham competências positivas e impulsionadoras, o que torna o indivíduo melhor preparado para redirecionar sua vida pessoal ou profissional.


3) Quais linhas existem? Muitas. Atualmente cada vez mais.

Minha observação neste ponto é menos relevante em relação às linhas de formação e muito mais relevante à formação e experiência do Coach.

Veja bem, se a linha de formação é cognitiva-comportamental, ontológica, PNL, integral, antroposófica, holística, evolutiva etc, (ufa!) só vai fazer diferença pra você caso você tenha mais ou menos afinidade por uma filosofia específica. Caso esse não seja o seu caso, minha recomendação é que em sua primeira conversa com o potencial Coach, você busque informações sobre como ele poderá contribuir com a sua demanda.


Além disso, independente da linha de trabalho do Coach, todo programa de coaching deve ser personalizado, construído a partir da demanda do cliente. Também é possível que um coach com mais experiência na área de desenvolvimento humano já tenha, inclusive, vivido e desenvolvido métodos próprios a partir de sua própria experiência e não necessariamente seguirá uma única linha, aproveitando todo o seu conhecimento para ampliar o uso de conceitos e técnicas que contribuam com o desenvolvimento do seu cliente.


4) Quais formações existem? As formações de coaching estão disponíveis em vários formatos: cursos onlines e presenciais, curtos e longos, com turmas grandes ou pequenas, blend-ed (online + presencial), com certificação internacional, que fazem parte de comunidades globais, que atendem ou não à carga horária e ao curriculum internacional de formação etc. Mas essa é uma informação que você pode facilmente ir atrás.

O ponto aqui é: qual a experiência que o seu Coach tem na área de atuação? Qual a vivência dele com desenvolvimento humano? Ele próprio já viveu algum processo transformador como cliente de um processo de coaching ? Ele sabe dizer por qual processo o seu cliente vai passar?


“Informação não é experiência. A única fonte de conhecimento é a experiência.” - Albert Einstein

5) Como escolher um Coach? Abaixo alguns critérios que podem apoiar a sua tomada de decisão:

a. Experiência: Assim como em outras profissões, o coach também necessita de experiência na área. Procure por profissionais que já viveram o que você está vivendo ou viveram contextos semelhantes ao seu.

O Coach não precisa entender do objetivo que o seu cliente (coachee) quer atingir, mas precisa entender do processo transformador pelo qual ele vai passar para poder facilita-lo nesta caminhada.

b. Rapport (primeiro contato): Vai além de empatia e de apresentação pessoal. Tem a ver com personalidade, filosofia de trabalho, entendimento da demanda e expectativas de ambas as partes.

c. Referências: Se você estivesse buscando um profissional para trabalhar em seu time, como faria? Ativaria a sua rede de contatos para buscar indicações, referências e informações sobre o profissional? Conversaria com mais de um, se possível, para ampliar as suas possibilidades de escolha? Acompanharia os perfis do candidato em mídias sociais como o instagram, facebook, linked in? Que outras ideias lhe vem à mente?

d. Formas de trabalho: há uma crescente oferta de formatos oferecidos com o intuito de dar flexibilidade tanto ao coachee como ao coach: formatos das reuniões (presenciais ou à distância), duração das reuniões (de 30’a 1h30), periodicidade dos encontros (semanal, quinzenal ou mensal), locais para as reuniões (públicos ou fechados), pagamento (por reunião, pacote fechado, parcelado, à vista), etc. Todos esses formatos de trabalho influenciam na composição do custo do programa. Por isso, a dica aqui é para você escolher o formato que melhor atende à sua demanda, respeitando à sua disponibilidade de investimento e dando atenção aos pontos cima já colocados.


6) O que o Coach deve fazer e o que ele não deve fazer? O coach tem o papel fundamental de promover o autoconhecimento e estimular o cliente a sair da zona de conforto por meio de técnicas provocativas e direcionadas para o alcance de metas e objetivos de vida futuros. Em qualquer nicho de atuação, um programa de coaching necessariamente deve ser personalizado, construído a partir de uma avaliação aprofundada sobre o indivíduo para dar a ele condições para tomar decisões que o levem a sair do patamar atual para um novo patamar, mais evoluído.

O coach não deve orientar o seu cliente a partir das suas experiências e conhecimentos técnicos, ainda que a demanda seja de carreira. Também não deve trabalhar questões de fundo psicológico ou traumas emocionais (coaching não é terapia) ou aconselhar o cliente a partir de seus julgamentos mas sim do próprio cliente (coachee).


Bem, espero que esse artigo tenha sido útil pra você =)


Aproveito para te convidar a entrar no meu site e conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho. Será um prazer poder contribuir com o seu processo de desenvolvimento.


Patricia Ansarah

Coach Desenvolvimento Humano

11 992123622

@coachpatriciaansarah

www.movementedho.com.br

118 visualizações